Chopp ou cerveja: o que você prefere?

Ele surgiu há mais de seis mil anos e traz um conceito de ser uma bebida mais natural às vistas dos puritanos de outrora. Afinal, ele não leva conservantes, estabilizantes e dura no máximo 10 dias dentro do barril bem fechadinho. O Chopp nosso de todo dia é uma cerveja menos ácida, aprazível e que antes da pasteurização era a o que havia em matéria de bebida maltada. No Brasil comete-se uma heresia. Pasteuriza-se o chopp também e é graças à chopeira que o sabor continua diferente das cervejas de long necks e de lata, que podem ficar até 6 meses envazadas.

A presença do CO2 é natural, no chopp convencional, mas no brasileiro é colocado um pouco mais do gás carbônico para manter os níveis de gás. Entretanto, ao ser tirado para ser servido, o chopp perde esse gás e deixa um pouco da acidez para traz. Mas não era pra ser colocado nenhum tipo de gás extra, já que o processo de fermentação é quem garante os níveis alcóolicos e de gás na bebida, além do paladar de cada tipagem.

Aquele chopinho bem tirado é diferencial!

Sabe aquela história de que um chopp bem tirado faz a diferença? Então, está provado que realmente esse processo é parte do sabor. Seja no ajuste da pressão, seja no equilíbrio do colarinho que mantém tanto o sabor quanto a temperatura ideal da bebida. Ah, quanto menos apressado a tiragem do chopp, menos ácido ele será: fica a dica! Melhor mesmo é beber um chopp totalmente livre de conservantes e isso você só vai conseguir nas tiragens menores, ou seja, nos artesanais. Prefira um produto que seja mais perecível, meu amigo, mas que garanta aquele sabor fantástico.

Ah, não se esqueça de combinar o chopp com um petisco no ponto, isso vai garantir o seu prazer. Chopp ou cerveja?